Técnica de enfermagem suspeita de matar, esquartejar e queimar marido é indiciada

Por Cianotícias em 08/05/2024 às 19:03:09
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Foto: Reprodução/Redes Sociais

A técnica de enfermagem Taciana Ferreira da Silva, de 49 anos, foi indiciada por matar, esquartejar e queimar o corpo do marido, Edivan da Silva Almeida, 51. O casal fez a mudança da Paraíba para a cidade de Toledo, no oeste do Paraná, há pouco mais de um ano.

A mulher confessou o crime para a polícia. Além disso, ela contou que o caso aconteceu entre os 14 e 15 de fevereiro deste ano por vingança, após ela descobrir uma traição dele.

Taciana deverá responder pelos crimes de homicídio triplamente qualificado (motivo fútil, impossibilidade de defesa da vítima e meio cruel), falsificação de documentos, fraude processual e ocultação de cadáver. Somadas as penas, elas podem chegar a mais de 40 anos de prisão.

A investigação apurou que Taciana ligou para Samu, no dia 14 de fevereiro, e afirmou que o marido passava mal.

Para o atendente, a técnica de enfermagem disse "Meu esposo está, tipo assim, convulsionando, fazendo uns barulhinhos bem estranhos, assim… Tá ouvindo? [barulho]". A atendente perguntou onde ela morava e, após a resposta, informou que passaria a ligação para um médico do Samu. "Fica na linha, não desliga, tá?", falou a atendente.

O serviço tentou novo contato, no entanto, a mulher não atendeu mais às ligações.

Marido ingeriu remédio ou veneno de rato, diz delegado

Conforme a Polícia Civil, a mulher colocou uma substância na bebida do marido. Por causa do estado do corpo, pelo esquartejamento e pela queima, a polícia ainda não conseguiu identificar qual substância Edivan ingeriu. Para o delegado Fabio Freire, que investiga o caso, possivelmente a vítima tomou remédio ou veneno de rato. A polícia encontrou o produto no local de trabalho de Taciana.

O delegado também acredita que houve premeditação do crime. Isso porque verificou-se, durante a investigação, que Taciane também mantinha uma relação extraconjungal. Por isso, vingança não justificaria a motivação para o crime, disse Freire, em entrevista para o G1.

"Não foi de forma repentina e sim premeditada. A motivação não foi apenas a questão a traição, mas sim um possível retorno de Edivan à Paraíba, para casar com a outra mulher", afirmou o delegado.

Não há identificação, até o momento, da participação de terceiros.

Mulher é investigada por morte de outros dois maridos

Edivan era o terceiro marido de Taciana. Os outros dois também morreram e a polícia investiga se ela tem envolvimento com as mortes de ambos. A filha dele contou à polícia que, após o pai pedir divórcio da mãe em 2020, ele se casou com Taciane. Alguns meses depois, em 2021, perderam contato.

Em 2022, a filha disse que recebeu uma ligação de Taciane por vídeo. Ela informava que tinha perdido os contatos da família. A filha pediu fotos e perguntou do pai. Taciane, no entanto, nunca mais respondeu.

Em depoimento, Taciana disse que Edvan teria matado José Sérgio da Silva, 50, o segundo marido. Além disso, a polícia investiga se também teria envolvimento na morte do primeiro marido. Ele morreu em suposto roubo.

Fonte: Ric Mais

Comunicar erro
banner 728X90 UP AGENCY

Comentários